segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Autárquicas: Sete presidentes de junta já estão eleitos

São sete os presidentes de junta em Paredes de Coura que, ainda antes das eleições do próximo dia 1 de Outubro, já sabem que vão permanecer no cargo. Isto porque são os únicos candidatos a essas juntas de freguesia, sem qualquer concorrência ou oposição.

Não é uma situação nova no concelho. Basta ver o que aconteceu em 2005 em Linhares ou em 2009 em Vascões, onde apenas uma lista, em ambos os casos do Partido Socialista, se apresentou à corrida eleitoral. Este ano, contudo, o caso assume maiores proporções, já que em sete freguesias e uniões de freguesias há apenas uma lista concorrente. O Partido Socialista apresentou listas em todas as freguesias, com excepção de Rubiães onde apoia a lista independente do actual presidente. Já o PSD apresenta-se a votos apenas em Vascões, Castanheira, Mozelos, S. Martinho de Coura, Parada e Infesta.

Deste modo são já conhecidos os futuros presidentes de junta de Padornelo, onde se mantém Manuel Vaz Barbosa, e de Romarigães, onde continua António Alves. Mas também de Cunha, onde Manuel Lopes Fernandes irá fazer o seu último mandato sem oposição, e ainda da União de Freguesias de Insalde e Porreiras, que continuará a ter Moisés Loureiro à frente dos destinos. O mesmo acontece com Agualonga e com a União de Freguesias de Bico e Cristelo onde, apesar dos actuais presidentes não se apresentarem a votos, não surgiram quaisquer listas concorrentes, deixando o caminho livre para os novos autarcas, Jorge Rocha e Armando Feijó, respectivamente.

O mesmo acontece com Rubiães, onde David Jorge Saraiva continuará como presidente, desta feita à frente duma lista independente, depois de ter sido eleito em 2013 com as cores do PSD, partido com o qual rompeu ao longo do corrente mandato. Aliás, o desagrado dos autarcas do PSD com as estruturas locais do partido, terá estado na origem de, por um lado, a saída de actuais presidentes de junta que, podendo, optaram por não se recandidatar. Por outro lado deu impulso a candidaturas independentes, lideradas por actuais autarcas social-democratas, cenário em que, além de Rubiães, se encontram as uniões de freguesias de Linhares e Cossourado, com Laurentino Alves, e Paredes de Coura e Resende, com o actual presidente da junta, Fernando Fernandes.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Autárquicas: Natércia Barbosa é a segunda da lista do PSD

natercia 1

Natércia Barbosa vai ser a número dois de Venâncio Fernandes na lista candidata à Câmara Municipal de Paredes de Coura. Para a Assembleia Municipal a escolha recaiu em João Cunha.

A menos de uma semana do prazo limite para a apresentação das listas concorrentes às próximas eleições autárquicas, é agora conhecido o nome de quem vai acompanhar Venâncio Fernandes e José Augusto Caldas, nos primeiros três lugares da lista social-democrata. Já se sabia que o histórico do PSD aceitou ir na terceira posição e por isso, obrigatoriamente, o número dois teria de ser uma senhora.

Depois de algumas semanas sem que e soubesse quem iria ocupar aquele lugar, é conhecida agora a escolha do cabeça de lista para aquela posição. O segundo posto será ocupado, desta forma, por Natércia Barbosa. Filha do antigo presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura , Natércia Barbosa não é conhecida pela sua ligação à política courense, isto muito embora tenha feito parte de uma candidatura há Junta de Freguesia de Resende no passado.

Já em relação à Assembleia Municipal, a escolha para líder da lista do PSD passou por um outro elemento com fortes ligações ao partido. João Cunha foi o escolhido, ele que já fez parte daquele órgão em diversos mandatos e que chegou mesmo a ocupar o cargo de vereador no mandato de 2009/2013, por substituição de Décio Guerreiro. A acompanhá-lo nesta luta, no segundo lugar da lista, estará Ricardo Marinho, que será um estreante nestas lides da Assembleia Municipal.

De realçar que tanto João Cunha como Ricardo Marinho são duas pessoas com fortes ligações à agricultura e ao ambiente, algo que a candidatura social-democrata pretende capitalizar. “Trata-se de uma aposta clara nas freguesias, o inverso da candidatura do Partido Socialista que, claramente, desistiu das mesmas”, referiu ao NC fonte da estrutura partidária do PSD.

Freguesias ainda em aberto

Nas freguesias o panorama laranja continua com muitos lugares em aberto. Depois de Vascões e Parada, com os processos já fechados, surge agora a confirmação de Infesta, freguesia que veste actualmente as cores do PSD mas onde Celso Barbosa não pode continuar, por impedimento legal. Emília Guerreiro, que já faz parte do actual executivo, foi a escolhida para líderar a lista naquela freguesia. Também em Cunha já está escolhido o cabeça de lista do PSD à junta de freguesia local. Trata-se de um jovem que já fez parte da anterior candidatura social-democrata, há quatro anos, mas que agora assume a liderança do conjunto concorrente.

Por outro lado há ainda situações que não estão completamente fechadas. É o caso de Castanheira, onde ainda se discute o nome do cabeça de lista, e de S. Martinho de Coura, onde se prepara igualmente uma lista para tentar manter aquela freguesia sob a égide do PSD, depois do actual autarca ter manifestado o seu apoio à candidatura de Vítor Paulo Pereira.

Decidido parece estar o apoio à lista independente que vai concorrer à união de freguesias de Paredes de Coura e Resende, estando a candidatura do PSD a estudar se irá tomar igual atitude para com a lista independente que surgiu recentemente na união de freguesias de Formariz e Ferreira.

Já em relação a Rubiães, igualmente uma candidatura independente liderada pelo actual presidente da junta, que conquistou a freguesia em 2013 com as cores do PSD, a candidatura de Venâncio Fernandes diz que vai igualmente apoiar aquela lista. Uma situação estranha, quando se sabe que a lista de David Jorge Saraiva já conta com o apoio do PS, o que se tornou público na apresentação dos candidatos socialistas onde este participou. Para a candidatura do PSD, contudo, aquela é uma lista composta por social-democratas, que ganharam a junta há quatro anos nessa condição, e daí o seu apoio, chegando inclusivamente a garantir que David Jorge Saraiva vai igualmente marcar presença na apresentação da candidatura do PSD. Algo que, contudo, o actual presidente e candidato independente já negou categoricamente ao Notícias de Coura.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Coura é uma das câmaras que saiu do vermelho

CIMG1113

Fez quatro anos em Março último que a Câmara de Paredes de Coura aderiu ao PAEL – Programa de Apoio à Economia Local e recebeu 2,8 milhões de euros para fazer face a dívidas a fornecedores que, em 31 de Março de 2012, rondavam os 3,7 milhões de euros. Um empréstimo que implicou também a adopção de novos comportamentos ao nível da relação com fornecedores, a redução da despesa e a actualização de diversas taxas cobradas pelo município courense. O empréstimo foi feito com uma base de 14 anos, mas agora, com pouco mais de quatro anos volvidos, as contas da autarquia já cumprem novamente os limites da dívida, o que permite que Paredes de Coura saia do leque de municípios que estão abrangidos pelo PAEL e deixe de ter condicionamentos na gestão impostos por este programa.

Ler mais nesta notícia do Público.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Autárquicas: Lista independente em Formariz e Ferreira

formariz e ferreira - ind

Está ao rubro o processo eleitoral em Formariz e Ferreira, quando ainda faltam mais de dois meses para as eleições autárquicas. Um grupo de cidadãos descontentes com a escolha socialista avançou com uma lista independente e promete dar luta e bons resultados.

À frente desta lista independente, ainda que com o apoio administrativo do Partido Ecologista Os Verdes (PEV), está Jorge Bento Ceia Lima, que nos últimos 12 anos fez parte das listas socialistas à Junta de Freguesia de Formariz, primeiro, e à União de Freguesias de Formariz e Ferreira, no último acto eleitoral. Bento Ceia Lima, que neste mandato é 2º secretário da assembleia de freguesia e que, em 2013, com o falecimento de Eugénio Gonçalves Pereira, chegou mesmo a ser tesoureiro da junta, é o rosto mais visível do grupo que resolveu avançar com esta candidatura por discordar das escolhas do PS.

Bento Ceia Lima terá sido, numa primeira fase, há cerca de quatro meses, convidado a encabeçar a lista socialista à União de Freguesias de Formariz e Ferreira, após ser conhecida a indisponibilidade de Manuel Mendes para continuar. Depois disso, contudo, face a exigências de Ferreira, os candidatos chegaram a um acordo assinado a quatro mãos, entre Vitor Paulo Pereira, Armando Araújo, António Pereira e o próprio Bento Ceia Lima, em que ficou selado que avançaria António Pereira como cabeça de lista mas os dois lugares seguintes seriam para Formariz. Contudo, ao que o Notícias de Coura apurou, o acordo não foi cumprido e, quando foi conhecida a distribuição final da lista, verificou-se que nos três primeiros lugares estava apenas um nome de Formariz, o de Duarte Ribas.

Estava dado o mote para o surgimento duma lista independente, que Bento Ceia Lima foi convidado a liderar por um grupo de descontentes. Em pouco mais de uma semana resolveram as questões legais, servindo-se do apoio administrativo do PEV, por intermédio de Arlindo Alves, antigo presidente da Junta de Freguesia de Formariz, evitando assim alguma burocracia que de outra forma teriam de cumprir.

Apesar disso, garantem os subscritores, a lista é completamente independente, tendo sido o próprio cabeça de lista quem convidou todos os elementos. Arlindo Alves, apesar do apoio, não fará parte da lista. Neste momento só é conhecido o cabeça de lista, mas o NC sabe que a composição da mesma está praticamente fechada e que no segundo lugar ficará uma pessoa de Ferreira, enquanto a terceira posição será ocupada por outro formaricense.

A candidatura independente, apesar de reconhecer que a corrida eleitoral não será fácil para nenhum dos lados, está esperançada num bom resultado. Recorde-se que, nas eleições autárquicas de 2013, o PS conquistou cinco mandatos, com 57,08% dos votos. A CDU conseguiu um lugar e 9,87% dos votos e o PSD, que ainda não se apresentou às eleições deste ano, alcançou 30,04% dos votos, o que lhe valeu três mandatos.